Por que contratar um Advogado Trabalhista?

Muitas são as dúvidas que surgem em relação ao direito trabalhista, há pacificado entre os dois lados da relação de trabalho uma percepção geral de como limitam-se as responsabilidades e os direitos de ambos. Para resolvermos problemas nessa questão criamos este artigo para resolver todas as questões.

A despeito de na Justiça do Trabalho a presença do advogado poder ser dispensada (representando o empregado ou patrão em sua própria defesa) cabem diversas diferenças na finalização de processos sem aconselhamento, devido a isso é considerável que quem tem uma demanda para a Justiça do Trabalho se questione, “eu tenho toda a capacidade técnica necessária para trabalhar com um processo judicial?”

Considerando a resposta da pergunta indicada é que o interessado vai decidir se necessita ou não contratar um advogado para representa-lo, no texto a seguir trataremos de todas as etapas as etapas judicial na Justiça do Trabalho, acompanhe e saiba como maximizar suas capacidades de sucesso.

O processo desacompanhado

A celeuma judicial é o contrário de feira livre ou desordem, o enfrentamento das afirmações reclamante e reclamado é organizada por estratégias, é visível nesses casos que é raro uma empresa ou patrão procurar a Justiça sem apoio de um advogado.

Isso é mais comum que para os reclamantes procurar a Justiça do Trabalho sem suporte jurídico, o que não é errado, mas só saudável para quem detém a técnica e que já tem experiência com o funcionamento da Justiça e saber Jurídico específico.

O que não reflete a situação do maior grupo dos reclamantes, que quando tentam sem apoio técnico a nuances da demanda judicial acabam soterrados por dificuldades, e terminam por mais se prejudicar, o advogado termina portanto igualando as chances das partes judicialmente.

A experiência profissional do advogado que atua em Ibicaraí – Bahia

O especialista a tratar de processos trabalhistas é o advogado, por isso é sempre relevante mesmo sem necessariamente contratar um, buscar o suporte e orientação do mesmo acerca de determinada demanda.

O conhecimento dos interessados usualmente não é o bastante para tratar do processo judicial, a plenitude caminha junta com o apoio do advogado, os patrões concluem por estar mais bem preparados nesse tema, considerando que parte já parte do o suporte do advogado contratado, a experiência prévia e a decisão pode nesses casos ser o diferencial pretendido.

Não estar acompanhado de um jurista pode criar um risco processual, que muitos não estão dispostos a correr. Há uma diferença relevante nos resultados de sentenças, resultados e outras características da finalização dos processos.

Estratégia Processual

As leis estão acessíveis a todos, mas muitos dos conteúdos principalmente no que tangem o dia a dia das sentenças e formas de conhecimento da Justiça do Trabalho, demandam um largo período de experiência para  aprender, dessa maneira a organização processual acontece de forma a levar em conta aspectos que não estão explícitas nos livros.

O conhecimento jurídico não se resume a rotina jurídica, a também consideramos a maneira de recolher provas ou de demonstrar certas questões perante ao Juiz demanda determinado conhecimento, além de especificidades do direito e trâmites administrativos e relacionados.

Essa atuação também é obrigatório na etapa de recursos. A primeira instância possui sentenças de um único Juiz, diversos temas ficam sub-abordados e são resolvidas de maneira incompleta ou sem consulta da legislação, por isso a segunda instância é essencial para solucionar essas questões, já que os recursos necessitam obrigatoriamente de protocolo técnico.

Riscos

Mesmo acompanhando as normas a risca, na Justiça do Trabalho, sem a necessária orientação o processo pode acabar em estrago, até cabendo o direito é preciso haver a prova correta, onde uma deficiência pode avariar o processo definitivamente.

Muita gente tem uma tradição de “só colocar cadeado depois de ser roubado”, e com a advocacia não é diferente, acontece dos empreendedores e os empregados contratam assessoria jurídica exclusivamente para remediar questões evitáveis.

O planejamento preventivo com assessoria jurídica, além de exaurir menos recursos, também significa a solução para algumas causas, ganhos maiores ou menores, etc. Pontos centrais ao considerar os custos com o profissional.

Ampla defesa

A garantia da ampla defesa plena deve ser também considerado quando for pensar em relação a escolha pelo profissional. Deficiências, faltas ou insuficiências nas respostas podem transformar muito do alegado por reclamante/reclamado em realidade, prejudicando definitivamente a outra parte.

Majoritariamente em aspectos como horas extra, desvio de função, assédio moral de funcionários, equiparação salarial, produção de prova testemunhal, é importante haver o auxilio do advogado trabalhista, tanto para contraditar o afirmado pelas testemunhas quanto para orientação e se organizar frente a construção de provas.

Não há “causa ganha!” A advocacia e a Justiça são públicas, mas as decisões são proferidas por um Juiz, não há, portanto, garantia de resultado. A escolha e o apoio de um bom especialista pode garantir a melhor defesa ou reclamação necessária, garantindo menos riscos.

Reforma Trabalhista

A Reforma Trabalhista aprovada em 2017 apresentou modificações significativas para a CLT e por consequência para toda a advocacia trabalhista. Aprender e se adaptar a essas mudanças também influencia diretamente na possibilidade de êxito nos procedimentos.

As mudanças alteram rotina de empregadores e trabalhadores, e é relevante para ambos contar com assessoria jurídica  para se acostumar as novas regras, saberem mais dos seus direitos, fora ter orientação para encontrar eventual solução de prejuízos.

A polêmica Reforma Trabalhista modifica mais de 100 aspectos da CLT, dizem seus defensores para criar mais modernidade nas relações de trabalho, apesar de ser bastante criticada por trazer alterações no acesso a Justiça do Trabalho e em seguranças aos trabalhadores.

A alegação central é que os problemas do mundo do trabalho eram consequência das normas pouco efetivas. Essa foi a fundamentação do Governo para investir na reforma, que viria para tentar resolver distorções.

Consideráveis foram as mudanças como: Expansão da possibilidade de terceirização, mudança na duração da jornada de trabalho, intervalo intra-jornada, possibilidade de parcelamento de férias e trabalho de gestantes e lactantes em ambiente insalubre, alterações na forma da homologação de rescisão contratual, mudança na contagem de horas extras, criação do contrato intermitente, etc.

O jurista, logo, pode servir nesse caso de forma educativa e preventiva, orientando tanto a empregadores quanto a empregados acerca dos seus direitos, sobre mudanças e como buscar eventuais contra-prestações por prejuízos passados pelo desrespeito a garantias e direitos da CLT, inclusive em processos e no apoio a ambos em processos na Justiça do Trabalho.

Se você procura um advogado em Ibicaraí – Bahia, entre em contato conosco e deixe a gente resolver seu processo. Para entrar em contato basta mandar um e-mail para [email protected]órionetto.com.br ou clicar abaixo para mandar uma mensagem em nosso whatsapp.